Alerj realiza audiência pública sobre os desaparecidos no Rio

Nesta terça-feira, 13 de agosto, a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Alerj, presidida pelo deputado Marcelo Freixo, realiza audiência pública sobre os casos dos desaparecidos no estado do Rio de Janeiro. O encontro será na sala 316 do Palácio Tiradentes, às 10h.

A audiência contará com a participação dos familiares do pedreiro Amarildo Dias de Souza, da engenheira Patrícia Amieiro, a ONG Rio de Paz, o pesquisador Fábio Araujo, o delegado Rivaldo Barbosa (Delegacia de Homicídios) e representante do Ministério Público. 

Quais as relações entre desaparecimento forçado e violência urbana? Em que medida o desaparecimento forçado expressa uma fase da violência urbana? Em que medida corresponde a práticas de extermínio? Essas são as pérguntas a serem debatidas na audiência.

Os poucos dados do ISP sobre os desaparecimentos no Estado do Rio de Janeiro são alarmantes. Entre 2003 e 2012, os números indicam mais de 50.000 casos, com crescimento significativo ano após ano e as poucas informações sobre desaparecimento forçado indicam inclusive uma espécie de divisão do trabalho entre policiais, milicianos e traficantes de drogas no ato de desaparecer com corpos.