ICMBio cancela audiência pública sobre Trem do Corcovado

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) suspendeu a audiência pública que deveria discutir hoje (8) o processo de concorrência pública para concessão dos serviços de operação do Trem do Corcovado, que liga o bairro do Cosme Velho ao Cristo Redentor. Prevista para as 18h, no auditório do Parque Lage, no bairro do Jardim Botânico, a audiência teria como objetivo obter subsídios e informações adicionais para aprimoramento das minutas do edital de concessão, que deverá ser publicado em novembro.

Em nota, o Parque Nacional da Tijuca, unidade de conservação do ICMBio na qual está localizado o Corcovado, informou que a suspensão foi determinada pela Diretoria de Planejamento, Administração e Logística do instituto, e que a nova data ainda não foi definida. A nota não esclarece os motivos do adiamento da audiência, que seria a segunda para discutir a concessão da ferrovia, atração turística do Rio de Janeiro e o mais concorrido meio de acesso ao Cristo Redentor.

De acordo com o ICMBio, o vencedor da licitação ficará responsável não só pela operação do trem, mas também pela cobrança de ingressos ao Corcovado, administração de lojas de alimentação e de conveniência e revitalização dos trens do complexo turístico. O projeto básico será elaborado com recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o contrato de concessão, pelo período de 20 anos, prevê investimentos de R$ 111, 54 milhões.

Inaugurada em 1884, a Estrada de Ferro do Corcovado foi a primeira ferrovia eletrificada do Brasil. A viagem de 20 minutos da Estação do Cosme Velho ao Cristo Redentor, operada pela atual concessionária, custa R$ 46 para adultos e R$ 23 para menores de 21 anos, idosos e estudantes. No ano passado, 879 mil pessoas usaram o trem para visitar o monumento, um dos ícones brasileiros e incluído na lista das sete maravilhas do mundo contemporâneo.