Moradores de área onde adutora rompeu podem ter falta de água

Os moradores de bairros no entorno da estrada do Mendanha, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro, poderão ter problemas no abastecimento de água, informou nesta terça-feira a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). Uma adutora da empresa se rompeu na manhã de hoje, destruindo casas e alagando a região. Uma criança de três anos morreu depois de engolir muita água e pelo menos 15 pessoas ficaram feridas.

A Cedae informou ainda que técnicos realizaram uma manobra de rede e desligaram o registro que abastece a tubulação rompida. Com isso, foram transferidos 6 mil litros de água por segundo que passariam pela tubulação rompida foram direcionados para outras linhas próximas. “A respeito de possível falta d'água, a Cedae informa que apenas a região do entorno do rompimento, parte de Bangu e de Santíssimo poderão sentir redução no abastecimento”, afirma nota divulgada pela empresa.

A companhia ressaltou que assistentes sociais e psicólogos estão prestando apoio aos feridos que estão no Hospital Rocha Faria. Além disso, salientou a Cedae, outros funcionários seguem no local do acidente atendendo vítimas e fazendo o levantamento dos prejuízos.

“A Cedae garante que todos os moradores desalojados serão instalados em hotéis, com atenção de assistentes sociais e psicólogos e com alimentação e hospedagem totalmente custeados pela companhia, e todos os atingidos serão integralmente ressarcidos de quaisquer danos materiais causados pelo vazamento”, complementa a nota.