Defensoria Pública critica governo estadual por preservar somente Júlio Delamare

A Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro (DPU/RJ), através do 1º Ofício de Direitos Humanos e Tutela Coletiva, afirmou nesta terça-feira (30) que observa com “séria preocupação” a decisão do Governo do Estado em preservar somente o Parque Aquático Júlio Delamare, localizado no Complexo do Maracanã. Na decisão do governo estadual, o Estádio de Atletismo Célio de Barros e a Escola Municipal Friedenreich continuam em pauta para serem demolidos.

Segundo a DPU/RJ, “os motivos que justificam a preservação do Parque Aquático são os mesmos que asseguram também a permanência do Estádio de Atletismo Célio de Barros e da Escola Municipal Friedenreich”.

A DPU/RJ cita como motivos para preservar a escola e o estádio de atletismo a valorização do Esporte e da Educação, a preparação dos atletas olímpicos para 2016, o prejuízo aos usuários da sociedade civil do complexo, e a preservação do patrimônio histórico, cultural e arquitetônico.

Em nota oficial, “a Defensoria Pública da União sugere ao Governo do Estado do Rio de Janeiro o aprofundamento de sua reflexão sobre a questão da demolição no entorno do Maracanã, de modo a que todas as instalações esportivas e educacionais sejam preservadas”.