Manifestação na porta de casa incomodou Cabral

Com mais uma manifestação prevista para esta noite, o governador Sérgio Cabral disse que ficou incomodado com os manifestantes que acamparam durante vários dias na rua onde mora, no Leblon, Zona Sul da cidade. O grupo foi retirado do local na madrugada de terça-feira (3) pela Polícia Militar. 

Cabral afirmou que respeita as manifestações. "Deve haver tolerância e respeito, mas isso não tem nada a ver com acampamento na rua – nem na Delfim Moreira, nem na Aristides Espíndola, nem na Irineu Marinho, nem na Rua Riachuelo, nem na Avenida Copacabana ou na Avenida Brasil. Em lugar nenhum, pode-se tolerar o impedimento do direito de ir e vir", enfatizou.

O governador reclamou dos transtornos causados pelos manifestantes. "Lamento, porque tenho filhos pequenos, grandes, família, que ficam preocupados". 

Segundo ele, as manifestações contra o governo devem se feitas pacificamente em frente à sede do governo, o Palácio Guanabara, em Laranjeiras.

Cabral disse ainda que as manifestações fazem parte da recente democracia brasileira. "Todas essas manifestações fazem parte de uma reflexão para o aperfeiçoamento da democracia. Graças a Deus, ninguém marchou com Deus e a família, querendo o golpe", afirmou Cabral.