Fafá de Belém se prepara para Acolhida do Papa Francisco

Cantora fala do momento político do país e da emoção de cantar para o pontífice

O mês de maio, dedicado pelos católicos à Maria, foi o escolhido pela cantora Fafá de Belém para o lançamento do seu novo EP, intitulado Amor e Fé, composto por músicas religiosas. Nesse mês, Fafá viajou para Portugal e, em um dos santuários de Fátima, exerceu a sua fé num pedido muito especial. A reposta “dos céus” veio rapidamente e foi anunciada na coletiva realizada essa semana pelo comitê organizador da Jornada Mundial da Juventude. A cantora fará a Cerimônia de Acolhida do Papa Francisco, no megaevento religioso, dia 25 de julho, na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Essa será a terceira vez que Fafá canta para um Papa. A canção escolhida foi Eu Sou de Lá, tema do Círio de Nazaré. A música foi um presente de aniversário dado à cantora pelo padre Fábio de Melo, no ano passado, e narra a história da maior manifestação Mariana em Belém, que reúne todos os anos milhões de pessoas de todas as crenças.

Emocionada e em clima de preparativos para a Jornada, Fafá acredita que a indicação do seu nome para a acolhida foi pela sua postura como religiosa e profissional. Devota fervorosa de Nossa Senhora de Nazaré, Fafá reservou seu recente álbum às canções que falam de fé e religião. Logo após o lançamento, as faixas dedicadas a Nossa Senhora, Ave Maria e Gracias a La Vida, em novas versões, estouraram nas paradas de sucesso do Norte. A renda gerada com o sucesso foi revertida para as obras sociais da Arquidiocese de Belém e uma paróquia que leva o nome de um dos Papas que Fafá conheceu, cantando para ele, João Paulo II.

Em 1997, a paraense cantou Ave Maria para o papa João Paulo II, no Maracanã, durante o II Encontro Mundial do Papa com as Famílias. No ano de 2006, Fafá estava em Valência, na Espanha, quando foi surpreendida com um novo convite, dessa vez era para se apresentar para o papa Bento XVI, no mesmo evento. Novamente a cantora escolheu a Ave Maria. “Foram momentos especiais, marcados por muitas emoções”.

Participar da Jornada da Juventude “num momento em que o povo brasileiro passa por um momento de reflexão, que vai às ruas numa manifestação fabulosa para exigir que seus impostos sejam aplicados na qualidade de vida” é realmente um privilégio para a cantora. Atuante em movimentos políticos históricos no país, como as Diretas Já, Fafá acredita que o Brasil vive de sonhos, mas também de pesadelos. Ela acha que a hora é de refletir, como está acontecendo com a juventude em países que deflagraram os atos públicos, como o Egito e Turquia. “É normal, infelizmente, que nas manifestações populares apareçam grupos isolados de vândalos, que tentam atrapalhar a festa democrática, mas eles não são suficientes para abafar os atos autênticos. O importante neste momento é descobrir o que é liberdade, valores, independente de partidos políticos”, opina a cantora. Ela tem a certeza de que a Jornada vai trazer um olhar diferente sobre todas essas questões. “O papa Francisco é latino, os países da América Latina costumam sofrer influência em processos importantes, como o que estamos vivendo agora, então a luz que vamos irradiar aqui vai ultrapassar as fronteiras e vamos receber respostas positivas”, explica a paraense.

Para sua apresentação na Jornada, Fafá vai contar um figurino que está sendo preparado pelo estilista paraense André Lima. “Só não pode faltar o véu, claro. O André está criando algo que tem haver com o Círio de Nazaré. Ele vai fazer uma leitura exata da minha participação no evento, criar um figurino que represente uma relação do Círio com a Jornada”, revelou a cantora.