Paes abre planilhas de custos das passagens de ônibus do Rio

Depois de pedir a desoneração do custo do transporte público no Brasil antes que “as cidades parem”, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), anunciou a criação de dois conselhos para melhorar o sistema de transportes do município e abriu as planilhas de custos das passagens de ônibus do Rio.

“Somos a cidade do Brasil que mais investe em mobilidade urbana", disse Paes, que convidou o Movimento do Passe Livre (MPL) para fazer parte do Conselho Municipal de Transportes, que vai reunir 12 membros do governo e da sociedade civil para acompanhar, fiscalizar e discutir ideias para o sistema de transporte da cidade.

Será criada também uma Comissão Especial de Assessoramento, formada por técnicos da prefeitura e por membros de três universidade cariocas, que terão 60 dias para elaborar um relatório de melhorias para o sistema. “É o que chamamos de Pacto pela Transparência no Transporte”, afirmou o prefeito.

Eduardo Paes disse que o movimento de protesto da sociedade nas ruas vem cumprindo um papel Importante. “Aqui não tem um prefeito autoritário. Não vejo pressões da sociedade civil como algo ruim. Nosso sistema de ônibus não é perfeito. O modelo que temos precisa avançar muito", disse ele, negando que o sistema não tem regras. “No contrato, os consórcios têm muitas obrigações e vão ter mais”, garantiu Paes, que vai exigir que até o fim do ano as empresas façam uma auditoria externa em suas contas com regras estabelecidas pela prefeitura. 

Além disso, a prefeitura vai colocar no ar, em breve, um site com todos os dados sobre os transportes públicos do Rio: o contrato da concessão, relatório diário de operação das linhas e a planilha de custos e formula de reajuste. “O impacto da tarifa não precisa ser pago pelo Poder Público, mas pode se rentabilizar, diminuir talvez o numero de ônibus nas ruas, e com mais eficiência para as empresas”, disse o prefeito, que voltou a se posicionar contra qualquer tipo de subsídio por parte da prefeitura para as empresas.

Na planilha de custos, foi revelado que as empresas têm lucro anual de 3% e que, de acordo com o contrato firmado, têm uma taxa de retorno de investimento na casa de 8,5% em 20 anos. Na mesma planilha, pode-se ver que o óleo diesel tem impacto de 21% sobre o valor da tarifa e que 45% das empresas estão com encargos com trabalhadores.