UFRJ condena violência policial em manifestações

 Decanos e diretores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), reunidos hoje, (24), publicaram moção de repúdio à “violência generalizada e descontrolada” por parte de agentes públicos, que culminaram, na quinta-feira passada (20), com centenas de estudantes e outros manifestantes buscando abrigo nos prédios da universidade, no centro do Rio.

Após a manifestação que reuniu milhares de pessoas na Avenida Presidente Vargas, centro do Rio, a Faculdade Nacional de Direito (FND) e o Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) abrigaram cerca de 700 pessoas, que se protegiam de atos violentos.

A nota condena a atitude tanto de “agentes provocadores” como de policiais e reforça que a liberdade de manifestação é fundamental para a democracia.

Com agenda de compromissos em Brasília, o reitor da UFRJ, Carlos Levi, subscreveu a moção e disse que a universidade vai continuar apoiando as manifestações da comunidade acadêmica e da população.

“O respeito à liberdade de expressão é uma das garantias mínimas para o fortalecimento do Estado Democrático brasileiro. Neste momento, a universidade está unida para condenar quaisquer intimidações e uso de violência sobre os cidadãos que estão nas ruas para exercer sua legitimidade de contestação e reivindicação de direitos”, declarou.