Rio aumenta efetivo policial no entorno do Maracanã e aguarda protesto

Os números não foram divulgados por questões de segurança, mas o Governo do Estado aumentou o efetivo policial no entorno do Estádio Maracanã, onde Espanha e Taiti se enfrentam na tarde desta quinta-feira, pela Copa das Confederações. O porta-voz da polícia militar, Coronel Frederico Caldas, confirmou que há neste jogo mais do que os 1.200 agentes da partida de domingo, e os torcedores percebem isso facilmente nas ruas.

Nesta quinta-feira, os policiais armaram um bloqueio a 500 metros do estádio. Neste perímetro, só entra quem tiver ingresso ou estiver trabalhando no evento. Há duas guarnições do Batalhão de Choque postadas estrategicamente próximas à estátua de Belini, na principal entrada do Maracanã.

Como era dia de trabalho normal para funcionários de empresas privadas e ponto facultativo a partir do meio-dia para funcionários públicos, a movimentação no entorno do estádio demorou para começar. Por volta das 13h, havia mais policiais do que torcedores em frente ao Maracanã - a reportagem do Terra conseguiu identificar alguns policiais à paisana inclusive.

Os líderes do Comitê Popular da Copa afirmam que não há nenhum protesto incentivado pelo grupo nesta quinta na porta do estádio. Eles preferem manter a mobilização para o Centro do Rio, na Candelária. Um policial disse que o batalhão tem a expectativa de que manifestantes se desloquem do Centro até o Maracanã até o final do jogo.?