Meditação ativa contra o estresse diário

Com a correria do dia-a-dia, que cada vez se torna mais estressante por conta da exigência do mundo contemporâneo de estar sempre conectado, uma maneira de relaxar não só a mente, mas também o corpo, é a meditação ativa.

Segundo a professora da escola de meditação Namastê, a terapeuta Prem Gyata, a meditação ativa age no estresse físico e emocional da rotina de trabalho.

“Ela é dividida em duas partes. Na primeira metade do tempo de meditação são realizados movimentos corporais, para aliviar a tensão da musculatura, depois é a clássica, aquela em que a pessoa fica imóvel, em silêncio. Dessa forma equilibrada, busca-se mais energia no corpo e na musculatura”, explica Prem Gyata.

A terapeuta ressalta que a meditação ativa é um bom exercício para quem sofre de ansiedade constante: “Pela rotina diária o corpo vai ficando tenso, a musculatura fica retraída, então os movimentos corporais aliados com respiração e expressão emocional ajudam a liberar todo o estresse diário. Quando você solta suas emoções, solta junto a tensão, o músculo relaxa”.

A base do trabalho milenar de meditação é o silêncio e respiração, no entanto, os movimentos corporais foram incorporados à prática, por isso é chamada de ativa.

“A parte ativa é uma visão que faz parte da terapia corporal do Ocidente que, junto com a passiva, onde só há o exercício de respiração em silêncio, formam uma meditação que o homem moderno precisa”, afirma Prem Gyata.