Bike Rio terá 200 novas estações em vários pontos

 Modelo que conta hoje com 60 estações, prevê70 pontos no centro da cidade

O Rio de Janeiro terá em pouco mais de um ano, entre a publicação desta sexta-feira no Diário Oficial do município e a divulgação da empresa vencedora da licitação, mais 200 estações do Bike Rio de aluguel de bicicletas, via aplicativo em smartphones ou ligações para uma operadora. Hoje são 60 pontos espalhadas essencialmente pela zona sul da cidade. A expansão do sistema deixará a operação com caráter mais "democrático", avançando para outras regiões.

O plano de instalação sugerido pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente contempla 346 pontos da capital fluminense, sendo que serão eleitos as 200 estações previstas no edital. No centro foram sugeridas 70 localidades, sendo que podem ser instaladas ainda até 40 novas plataformas inéditas na área do Maracanã/Tijuca e Ilha do Governador, 20 em cada região, ambas na zona norte.

A parte descrita pelo mapa fornecido pela Prefeitura do Rio ainda aponta a possibilidade de 16 estações no Recreio e outras 58 na parte chamada de Barra Olímpica, onde ocorrerão boa parte dos Jogos Olímpicos de 2016. Tudo na zona oeste. A entrega da documentação das empresas autorizadas ocorrerá no dia 18 de julho. A definição sobre quais pontos serão eleitos acontece 30 dias após a assinatura do contrato.

A atual administração da parceria entre a concessionária Serttel e o Banco Itaú vence em setembro deste ano. O vencedor da licitação municipal ganhará o direito de explorar o Bike Rio por cinco anos, com possibilidade de renovação para igual período. A outorga mínima é de R$ 13 milhões para as 200 novas estações, com 2.600 bicicletas.

O Bike Rio é um sistema de aluguel de bicicletas inaugurado em outubro de 2011 e que caiu no gosto popular no Rio de Janeiro. São mais de 1,8 milhão de viagens. É cena bastante comum pela zona sul, região mais contemplada com o serviço até então, as bibicletas laranjas circulando e promovendo rápido deslocamento no solo plano da região mais turística do Rio.

As estações das praias de Copacabana, Ipanema e Leblon, principalmente aos domingos, quando uma faixa da orla fica fechada ao trânsito, ficam escassas, e não é raro ver usuários esperando a devolução. Portanto, a necessidade de ampliação do sistema, já existente também em outras grandes cidades do mundo, como Nova Iorque e Paris. São Paulo foi a segunda cidade brasileira em que o aluguel inteligente de bicicletas foi colocado em prática, sem tanto apelo, porém.

Para alugar uma bicicleta, é preciso baixar o aplicativo para o smartphone ou ligar para a operadora que vai liberar a bicicleta desejada, depois de o usuário optar por dois tipos de cadastro. Por R$ 10, o passe mensal te dá direito a pedalar livremente por uma hora e aguardar outros 15 minutos para nova retirada, sucessivamente. Para uma diária, o valor é de R$ 5.