Acusado de estupro, técnico em enfermagem se apresenta à polícia do RJ

Denunciado duas vezes pelo crime de estupro de vulnerável, ele pode ser condenado a pena de 15 anos

O técnico em enfermagem Brivaldo Francisco Xavier Júnior, acusado de ter estuprado pelo menos duas pacientes internadas no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do hospital Quinta D’Or, em São Cristóvão, zona norte do Rio de Janeiro, se apresentou à polícia nesta quinta-feira, na 17ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão). A Polícia Civil não informou o horário exato em que o acusado chegou à delegacia.

Nesta quinta-feira, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou Brivaldo por estupro de vulnerável, e pediu sua prisão preventiva. De acordo com a denúncia, o técnico em enfermagem fez “carícias íntimas” em uma paciente que se recuperava de uma cirurgia no CTI do Hospital Quinta D’Or, e que, por isso, não poderia oferecer resistência.

Segundo a denúncia, as imagens do circuito interno do hospital mostram que Brivaldo, que não estava designado para atender a paciente, foi várias vezes ao leito da vítima. Em uma das ocasiões, o acusado se aproveitou do fato de a vítima estar sedada para acariciar seu corpo e fazê-la tocar suas partes íntimas. 

Em outra, Brivaldo pediu a uma técnica em enfermagem para que verificasse a prescrição médica da paciente, enquanto ambos davam banho nela, o que permitiu que ele ficasse por cerca de 10 minutos sozinho com a mulher, e praticasse outros atos libidinosos. O protocolo hospitalar exige a presença de dois técnicos nos banhos de pacientes. 

Segundo a denúncia, Brivaldo foi ao leito da vítima uma terceira vez, e disse que “estava sonhando com o próximo plantão para retornar”. Denunciado duas vezes pelo crime de estupro de vulnerável, o técnico em enfermagem pode ser condenado a pena de 15 anos. 

Justiça decretou prisão preventiva de acusado

Na quarta-feira, a Justiça fluminense decretou a prisão preventiva do técnico em enfermagem. Segundo a juíza responsável pela sentença, “os fatos narrados na denúncia, ao final, acaso provados, fazem com que se vislumbre verdadeiro ataque à paz social. No que concerne à decretação da prisão preventiva do réu, bom de ver que o tipo penal enfrentado é dotado de característica da hediondez”.

Uma mulher de 36 anos afirma que foi vítima de Brivaldo quando estava internada na CTI do hospital. Após passar por uma cirurgia no dia 9 de maio, ela foi encaminhada para o Centro de Terapia Intensiva na madrugada do dia 10 para o dia 11, quando o abuso teria ocorrido. “Eu estava deitada, mais inconsciente do que consciente, e tem uma pessoa se esfregando em mim sexualmente”, contou ela ao programa Fantástico. Após a denúncia, o técnico em enfermagem foi reconhecido por mais uma vítima.