Rio ganha a 33ª Unidade de Polícia Pacificadora

UPP Cerro-Corá vai beneficiar 4.500 moradores de cinco comunidades da Zona Sul

O Rio de Janeiro ganhou na manhã desta segunda-feira (3/6) a sua 33ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), que consolida o processo de pacificação nas comunidades do Cosme Velho, na Zona Sul da cidade. Cerca de 4.500 moradores do Cerro-Corá, Guararapes, Vila Cândido, Coroado e Julio Otoni serão beneficiados pela política de segurança. As comunidades estão ocupadas desde o fim de abril.

O patrulhamento da região será feito por 232 policiais militares, sob o comando do capitão Jeimison Gonçalves, de 31 anos, que esteve à frente da UPP da Cidade de Deus por dois anos e seis meses. 

A UPP possui uma base administrativa, na Rua Almirante Alexandrino com Ladeira do Ascurra, e outra base de apoio na Rua Arapuã, ambas no bairro do Cosme Velho.

Participaram da inauguração da UPP Cerro-corá o governador Sérgio Cabral, o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, o comandante-geral da PM, tenente-coronel Erir Ribeiro, e a chefe de Polícia Civil, delegada Marta Rocha.

Para o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a implantação da UPP nas comunidades de Cosme Velho completa o cinturão de segurança do maciço que abrange as regiões da Zona Sul e da Tijuca. "A polícia pacificadora, de certa forma, está completando a atuação nessa região e, agora, o projeto de segurança seguirá para outros lugares da cidade. Quero agradecer à população das comunidades de Cerro-Corá pela forma carinhosa que receberam os policiais e enfatizar que a PM têm um papel de transformação nas comunidades, sempre desenvolvendo a política de diálogo e entendimento", disse.

O capitão Jeimison Gonçalves que comandará a nova UPP, afirmou que o efetivo policial será distribuído equitativamente entre as comunidades, para inibir a ação de assaltantes na região.

"Essas comunidades não têm histórico de confrontos armados, mas registram índices de assaltos. Por isso, vamos intensificar o policiamento em toda a região, de forma qualitativa e bem distribuída, para dificultar a ação de criminosos. Os moradores já podem, inclusive, colaborar com o trabalho da polícia através do Disque-Denúncia", afirmou.

O presidente da Associação de Moradores da Comunidade Guararapes, Eduardo Silva, de 63 anos, espera que a chegada da UPP no Cosme Velho facilite o acesso de serviços públicos para a população local: "A expectativa é que a UPP traga serviços públicos de qualidade para as nossas comunidades, principalmente nas áreas de saúde e educação".

Apesar da chegada do poder público às comunidade cariocas, alguns moradores do Cerro-Corá reclamam da falta de serviços básicos na região. É caso do guia turístico Luiz Cláudio, que mora na comunidade há 50 anos. "A comunidade está uma sujeira só. Não tem limpeza, não tem ação social. O esgoto está correndo a céu aberto. Aqui nunca foi feito nada. Vamos aguardar para ver o que será feito", disse ele.

Com Agência Brasil