Sobe para dez o número de mortos em Petrópolis por causa das fortes chuvas

Rio de Janeiro – As fortes chuvas que caíram em Petrópolis, na região serrana fluminense, entre a noite de domingo (17) e a madrugada desta segunda-feira (18), deixaram pelo menos dez mortos, segundo a Secretaria Estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro.

Dois técnicos da Defesa Civil estão entre as vítimas. Eles trabalhavam no resgate de desaparecidos na Vila São Joaquim, próximo à Rua Espirito Santo, no bairro Quitandinha, e acabaram soterrados. 

As chuvas provocaram inundações em vários pontos da cidade. Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, os rios Quitandinha e Piabanha transbordaram. “O Rio Piabanha é o que mais nos preocupa porque corta Petrópolis de ponta a ponta”, disse Minc.

>> Cabral coloca toda a estrutura do Estado à disposição de Petrópolis    

A Rodovia Rio-Juiz de Fora está parcialmente interditada em sete pontos, em razão de deslizamentos de terra. O trecho de subida da serra, na altura do quilômetro 75, chegou a ficar completamente fechado, mas foi liberado no fim da madrugada de hoje.

Segundo a Defesa Civil, pelo menos 50 pessoas estão desalojados em três bairros e um sub-bairro de Petrópolis. "O governo do estado mobilizou toda a sua estrutura, especificamente a do Instituto Estadual do Ambiente com máquinas e caminhões para que a gente possa desobstruir vias", afirmou o secretário estadual de Defesa Civil do Rio de Janeiro, Sérgio Simões. De acordo com Simões, em Petrópolis choveu mais de 300 milímetros em 24 horas. O volume de chuva esperado em um mês no município é 270 milímetros.

O prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, destacou que a prioridade no momento é resgatar os corpos das vítimas. "Decretamos ponto facultativo nas escolas. Os serviços estão prejudicados e continua chovendo na cidade. O governo do Estado disponibilizou máquinas e pessoal para ajudar nos trabalhos."

Com Agência Brasil