RJ: polícia prende 4 pessoas em ocupação do Complexo do Caju

Quatro pessoas foram presas na manhã deste domingo durante a ocupação do Complexo do Caju e Barreira do Vasco, na zona norte do Rio de Janeiro. Elas foram encaminhadas à 17ª Delegacia de Polícia, em São Cristóvão. Pelo menos um deles tinha mandado de prisão temporária decretado pela Justiça, segundo a polícia. Os nomes dos presos não foram divulgados.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), obteve o decreto da prisão temporária de dez traficantes de drogas do Parque Alegria, no Complexo do Caju. A Justiça concedeu 19 mandados de busca e apreensão de armas, munições e veículos utilizados pelos criminosos. Essess mandados estão sendo cumpridos neste domingo, durante a ocupação das favelas pelas forças de segurança do Rio.

Os objetos da investigação eram o tráfico de drogas e a associação para o tráfico na região. O grupo também era responsável por roubo e furto de carros, porte ilegal de armas e homicídios.

Os mandados são para Luis Henrique Ferreira de Melo, conhecido como Angolano; Odilon Fernandes Ripardo; Rodrigo Marcelino da Silva, o Piloto; Fabio Araujo Dutra, vulgo Galo; Renan Magalhães de Lima, conhecido como Lala, Lolo, Tropeço ou Badia; Paulo Castilho Correia Filho, o Playboy; Anderson Seabra Barreto e Lima, vulgo Nem; Alexandre Almeida de Sá; Paulo Castilho Correia e Jonathan Jailton Vilela.

A ocupação

Em operação que durou cerca de 25 minutos e sem encontrar resistência, as forças de segurança ocuparam na madrugada deste domingo o Complexo do Caju, conjunto de favelas que, no total, abrange 13 comunidades, e a Barreira do Vasco, na zona norte da capital fluminense. A ação teve início às 5h. Com as comunidades ocupadas, a Secretaria de Segurança Pública do Estado deve instalar novas Unidades de Polícia Pacificadora, as UPPs, no local. No total, cerca de 20 mil moradores vivem no Caju, e outros 7 mil na Barreira do Vasco.

Mais de 1,3 mil homens do agrupamento Centro de Operações Especiais (COE) - que engloba, dentro da PM, o Batalhão de Operações Policiais Especiais, o Batalhão de Choque, o Batalhão de Ações com Cães e o Grupamento Aeromarítimo -, participaram da ocupação do Complexo do Caju. Blindados da Marinha - 17 unidades no total -, juntamente com 200 militares, deram apoio tático durante a ação.

Nos locais ocupados, está prevista a instalação de três UPPs: Parque Alegria, Parque Boa Esperança e Barreira do Vasco. Na primeira etapa das operações, o Bope, junto dos fuzileiros navais, permanecem nas comunidades fazendo o cerco por armas, drogas escondidas e membros da facção criminosa local, até a chegada do efetivo da PM (cerca de 500 homens, estima-se) que trabalhará permanentemente nas favelas.