Rio de Janeiro inicia período de teste com novo mictório público

Equipamento foi batizado de "UFA!" (Unidade Fornecedora de Alívio) e será avaliado por 45 dias

O Rio de Janeiro coloca em teste, a partir desta terça-feira, um novo mictório público. Batizado de "UFA!", sigla para Unidade Fornecedora de Alívio, o equipamento está em uso na parte de fora da estação de trem da Central do Brasil e será avaliado por um prazo de até 45 dias. Se aprovado, será espalhado em outras regiões da cidade, a fim de diminuir a incidência de urina nas ruas.

"Sabemos que banheiro público é uma necessidade da cidade, e estamos buscando um novo modelo. Esse está começando a ser avaliado. Ele é bem simples, de fácil operação. É um modelo que deu muito certo na Europa", afirmou o secretário de Conservação e Serviços Públicos, Marcus Belchior.

Construído em aço inox, o mictório tem ligação direta com a rede de esgoto e conta com uma válvula especial que, segundo a prefeitura, não permite o retorno do odor das galerias. O mictório não é fechado, deixa parte das pernas à mostra, e permite que se visualize quando alguém está utilizando.

A manutenção será feita pela Comlurb, empresa pública responsável pela limpeza da cidade. Segundo Belchior, o equipamento será limpo três vezes ao dia, pela manhã, à tarde e à noite. A estrutura do mictório público é à prova d'água, o que permitirá que um carro pipa faça a limpeza completa do equipamento.

O secretário Belchior explicou que a opção pelo mictório, que atende apenas os homens, decorre da percepção de que as mulheres são mais educadas e urinam menos nas ruas do que os representantes do sexo oposto. Segundo ele, esse modelo-teste foi fornecido sem qualquer custo para a prefeitura - mas um mictório deste tipo está avaliado em R$ 19 mil.

O primeiro usuário do novo mictório público do Rio foi o ajudante de padeiro Josafá Gomes da Silva Filho. Ele disse ter aprovado o modelo e apontou que, caso sejam espalhados pela cidade, vão melhorar bastante a questão da higiene nas ruas. "Com esse daí, só vai fazer na rua quem não tiver vergonha na cara. Achei show de bola. Agora estou aliviado", comentou.