Polícia Civil investiga abuso sexual envolvendo padre em Niterói

A Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói investiga denúncias contra um padre que teria abusado sexualmente de uma menina de 10 anos quando ela tinha sete. Além disso, o sacerdote também teria mantido um relacionamento com a irmã da primeira vítima desde que ela tinha 13 anos. Hoje ela está com 19.

O caso começou a ser investigado depois de denúncia do pai das duas vítimas. O homem pediu que a filha mais velha, que confessou se encontrar com o padre frequentemente, fizesse um vídeo do religioso transando com outra menina.

Em petição enviada pelo advogado do acusado à delegacia, o sacerdote confessou ter mantido relações sexuais com a mais velha das duas irmãs, mas só a partir do momento em que ela completou 18 anos. Um exame foi feito no corpo da irmã menos e constatou que ela não chegou a ser estuprada. No entanto, com o relato da menina, a polícia entendeu que houve abuso sexual pois o padre teria alisado as partes íntimas da criança.

A Arquidiocese de Niterói suspendeu temporariamente o sacerdote e informou que o próprio padre “levou a denúncia ao conhecimento do Ministério Público”. O pai das meninas vai ser investigado por extorsão, já que teria apresentado o vídeo ao padre para conseguir um imóvel em troca de seu silêncio.