Curiosidade e opiniões divididas no 1º dia de UFA, mictório público da Central

A medida da prefeitura tem a intenção de coibir os mijões de rua

O primeiro dia do mictório público instalado na Central do Brasil, apelidado de UFA! (Unidade Fornecedora de Alívio), gerou curiosidade e dividiu opiniões entre os transeuntes da estação, nesta terça-feira (28). Muitos deles passavam e se perguntavam se a instalação é gratuita.

Um aposentado que transitava pela Central nesta tarde e que preferiu não se identificar afirmou que se trata de uma boa medida, mas ponderou: “Claro que é uma das bem feitorias, pois não só o Rio, como o Brasil está poluído. Mas as autoridades deveriam se preocupar é com hospitais, o salário da população e, principalmente, educação. Com uma boa educação para as pessoas, não precisaria gastar dinheiro com esses mictórios públicos, pois elas mesmas já teriam consciência de não fazer nas ruas”.

Já Marcos Antônio da Silva, atendente da própria Central do Brasil desde 1985, era só elogios após utilizar o mictório e dizia que a medida o ajudará no lazer após a jornada de trabalho.

“Muitas vezes queria ficar aqui pela região da Central tomando uma cerveja após o expediente. Não ficava porque pensava na falta de banheiro. Teria que voltar para o ambiente de trabalho e usar o dos funcionários. Agora tem esse na porta, na rua ainda”, comemorou Silva, que em sua mochila ainda carregava uma garrafa plástica que ele dizia ser o seu “banheiro”.

Ala feminina protesta

Duas vendedoras colegas de trabalho que pararam para observar o mictório indagaram o por quê de só instalaram mijatórios para os homens.

“Além de ser horrível, todo aberto, não tem para as mulheres. É uma discriminação”, criticou Cybele Costa.

Mais ponderada, Sílvia Martins também reclamou da falta de banheiros desse tipo para mulheres, mas diz que se trata de uma resposta à proibição de urinar na rua.

“Se existe a proibição, então eles (poder público) precisam dar um jeito para sanar a necessidade das pessoas” afirmou. Sílvia.

*Do Programa de Estágio do Jornal do Brasil