Corpos de jovens mortas por tromba d'água são enterrados em Angra dos Reis

Os corpos das duas adolescentes que moereram depois de serem arrastadas por uma tromba d'água na cachoeira do Rio Banqueta, em Angra dos Reis, no sul fluminense, serão enterradas hoje (25) no cemitério do Belém. Os corpos estavam desaparecidos desde sábado (23) e foram encontrados na manhã de ontem (24) por uma equipe do Corpo de Bombeiros depois de dez horas de busca.

Segundo os bombeiros, Isabela de Lima, de 14 anos, e Valdivia Lima de Oliveira de 18 anos, tomavam banho na cachoeira que fica a cerca de 10 quilômetros (km) do centro do município, quando foram surpreendidas pela correnteza resultante de um forte temporal que atingiu a região. De acordo com a Defesa Civil do município, não houve registros de alagamentos provocados pela chuva.

O corpo de Isabela foi encontrado no Rio Japuíba, afluente do Banqueta, no bairro Nova Angra, a 2,5 km do local onde elas nadavam, e o corpo de Valdiana foi achado no mesmo rio, próximo a uma ponte no bairro Tararaca. O secretário especial de Defesa Civil e Trânsito de Angra dos Reis, Marco Oliveira lamentou a morte das jovens e disse que o incidente foi um caso isolado.

"Nós tivemos uma chuva rápida aqui na região devido ao forte calor e a umidade relativa do ar, o que possibilitou a formação de nuvens na serra. Com isso, o nível da água do rio aumentou e com o volume da chuva, formando uma forte correnteza que pegou as duas jovens de surpresa. Geralmente esse fenômeno é muito rápido. Nós recomendamos aos banhistas que quando perceberem qualquer mudança rápida e brusca no tempo deixem a água imediatamente", disse Oliveira.