Paes diz que falta de quartos de hotéis no Rio ainda preocupa o COI

Rio de Janeiro – Representantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) se reuniram na manhã de hoje (18) com autoridades públicas brasileiras para conhecer o andamento da preparação do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

O encontro abriu a agenda oficial de três dias da comitiva do COI na cidade, que inclui reuniões técnicas e uma visita ao Estádio Mário Filho, o Maracanã, que está passando por uma reforma para a Copa do Mundo de 2014 e que servirá como palco das cerimônias de abertura e encerramento.

Segundo o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, há sempre preocupações em relação a prazos, mas tudo está “caminhando bem”. “À medida que vai se aproximando, os prazos vão ficando mais curtos, mas eu acho que nesses três dias a gente vai mostrar que as Olimpíadas do Rio estão caminhando super bem. Claro que tem coisas que demandam mais atenção”, disse.

Eduardo Paes acrescentou que a questão das acomodações na cidade continua gerando certa preocupação. Apesar disso, segundo ele, o déficit de quartos de hotéis está cada vez menor. “A preocupação não é com a cidade, mas com determinados lugares, como a Barra da Tijuca [área principal dos Jogos], onde ainda há um gap [déficit] de 700 acomodações. [Como havia a necessidade de] 15 mil acomodações [na Barra], já resolvemos 14.300. Mas estamos atentos, trabalhando para acabar com esse gap”, disse Paes.

Perguntado se o orçamento das Olimpíadas já estava definido, o prefeito disse, sem citar números, que 90% dos projetos olímpicos já têm os valores conhecidos. Paes disse, no entanto, que é preciso ainda definir o que deve ser incluído no orçamento das Olimpíadas e as intervenções urbanas, como a revitalização da zona portuária, que não devem fazer parte. Segundo o prefeito, o COI não demonstrou preocupação em relação a essa questão.

Para o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o orçamento das Olimpíadas já foi divulgado na época da candidatura do Rio de Janeiro para sediar os Jogos. Segundo a organização não governamental Contas Abertas, o orçamento previsto em 2008 era R$ 28,8 bilhões, mas os gastos devem chegar a R$ 38,7 bilhões até 2016.

“Há uma matriz de responsabilidade que não integra necessariamente a infraestrutura olímpica. São melhorias para a cidade, legado, investimentos, obras do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento, do governo federal] que constituem um outro orçamento”, disse Rebelo.