Iphan-RJ contraria Marta e nega existir pedido para tombar Museu do Índio

Proposta de preservação do imóvel está arquivada no órgão há três anos

A Superintendência fluminense do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), negou, na manhã desta sexta-feira (25/01), que tenha recomendado o tombamento do prédio onde funcionou o Museu do Índio, vizinho do Maracanã. Ontem (24/01), após conversa com o vice-governador do Estado, Luiz Fernando Pezão, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, havia afirmado que o órgão federal, vinculado ao Ministério da Cultura, teria indicado a preservação do imóvel

Através de sua assessoria, o Iphan-RJ informou que o tombamento do imóvel foi solicitado há três anos. O presidente à época, Luiz Fernando de Almeida, determinou, após a demanda ser avaliada por todas as instâncias do órgão, que a solicitação fosse arquivada por conta do "grau de degradação" do prédio. O posicionamento do Iphan concorda com pronunciamento do governador Sergio Cabral que, ainda ontem (24/01), desmentiu Marta Suplicy.

Críticas á demolição

Ainda nesta sexta-feira, o Comitê Popular da Copa e das Olimpíadas do Rio de Janeiro fez duras críticas ao governo do Estado e à Prefeitura por "jogarem no lixo projeto de novo parque", para poderem construir um complexo de lojas, restaurantes e estacionamentos no Maracanã, removendo o Parque Aquático Júlio Delamare, o Estádio de Atletismo Célio de Barros, a Escola municipal Friedenreich e o antigo prédio do Museu do Índio. 

"Querem jogar no lixo a proposta de construção de um novo parque em São Cristóvão, ao lado da Quinta da Boa Vista. O Parque Glaziou, de 85.500 m², ofereceria quadrasesportivas, pérgolas, bosques, canteiros, lagos e grandes áreas gramadas, e estaria pronto até as Olimpíadas de 2016, deixando um verdadeiro legado para a cidade", diz o comitê.

Leia mais

>> Aldeia Maracanã: abaixo-assinado reúne mais de dez mil assinaturas

>> Índios: Comissão de Direitos Humanos da Câmara cobra explicações do governo

>> Clima de tensão e expectativa na Aldeia Maracanã

>> Homens do Batalhão de Choque cercam a Aldeia Maracanã

>> Aldeia Maracanã: índios recebem ordem de despejo

>> Veja o depoimento de Milton Nascimento

>> Veja o depoimento de Chico Buarque