Torcedores rubro-negros têm prisão decretada por morte de vascaíno

O juiz Fábio Uchôa Montenegro, em exercício na 2ª Vara Criminal da capital, aceitou a denúncia e decretou a prisão preventiva dos 11 torcedores rubro-negros acusados de matar o vascaíno Diego Martins Leal em agosto do ano passado, antes do jogo entre Flamengo e Vasco pelo Campeonato Brasileiro.

 “Com efeito, os acusados demonstram possuir intensa periculosidade, na medida em que se encontravam associados para a prática criminosa, utilizando armas de fogo bombas de fabricação caseira e estiletes e com planejamento de suas ações, disfarçados sob o rótulo de que participavam de uma simples “torcida organizada de futebol”, mas que na verdade trata-se de uma organização criminosa tão hedionda quanto outros grupos que cometem crimes gravíssimos e com extrema violência e que aterrorizam a cidade do Rio de Janeiro”, escreveu o juiz na decisão.

O magistrado lembrou ainda que a prisão preventiva dos réus também é conveniente à instrução criminal, uma vez que conferirá a segurança necessária para as testemunhas que serão ouvidas, para que prestem declarações de forma isenta, sem temerem sofrer qualquer retaliação ou influência por parte dos acusados, considerados de grande periculosidade.

São réus no processo Thiago Bruno Mendonça, Jofre Gonçalves do Nascimento, Carlos Renato Silva Santos, Anderson Mendes da Silva, Thiago de Oliveira Ramos, Fernando Porto de Oliveira, Alan Flores da Costa, Alexandre de Oliveira Medeiros, Diego da Silva Antunes, Daniel Monteiro Abreu e Alessanderson Piedade Motta.