Rio: Justiça condena bandidos que fizeram 35 reféns em hotel  

A Justiça do Rio de Janeiro condenou nove acusados pela invasão do hotel Intercontinental, em São Conrado, zona sul da capital fluminense, em agosto de 2010. Na ação, os bandidos trocaram tiros com a Polícia Militar próximo à favela da Rocinha, fugiram para o hotel e fizeram 35 pessoas reféns por cerca de duas horas. Na troca de tiros, uma mulher foi morta.

A condenação foi proferida pela juíza Angélica dos Santos Costa, da 25ª Vara Criminal da Capital, na segunda-feira. Os nove réus responderam pelos crimes de cárcere privado, sequestro, associação para o tráfico, porte de arma e resistência à prisão.

Victor Gomes Elói foi condenado a 18 anos e três meses de reclusão e um ano e seis meses de detenção e Ítalo de Jesus Campos a 16 anos, 4 meses e 15 dias de reclusão e um ano e três meses de detenção. Os réus Alan Francisco da Silva, Vinícius Gomes da Silva, Washington de Jesus Andrade Paz, Rogério Avelino da Silva, Davi Gomes de Oliveira, Jackson Nascimento Gomes da Silva e Técio Martins da Silva foram condenados à pena de 14 anos de reclusão e um ano de detenção, todos em regime fechado.

Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, será julgado por estes crimes em um outro processo.

Relembre o caso

Por volta das 8h do dia 21 de agosto de 2010, um grupo de traficantes do Morro do Urubu, na zona norte do Rio, entrou em confronto com policiais do 23º BPM (Leblon) nas proximidades da favela da Rocinha. Dez criminosos fugiram e invadiram o hotel Intercontinental, no bairro de São Conrado, zona sul do Rio.

Na troca de tiros, morreu uma mulher identificada como Adriana Oliveira dos Santos, 41 anos. Segundo a PM, a mulher fazia parte do grupo e havia mandado de prisão temporária expedido contra ela desde fevereiro.

Os traficantes fizeram 35 reféns, entre hóspedes e funcionários, na cozinha do estabelecimento. Depois de quase duas horas de negociação com o Bope, o grupo se entregou. Com eles, foram apreendidos oito fuzis, cinco pistolas, munição, granadas e rádios.