PF do Rio prende José Gonzáles, suposto terrorista do grupo basco ETA

Ele estaria foragido da Justiça espanhola desde 1991

A Polícia Federal  e a polícia espanhola prenderam nnesta sexta-feira (18), no Rio de Janeiro, um suposto membro do grupo basco ETA, classificado como terrorista pelas autoridades espanholas. A divulgação oficial da prisão, porém, só foi feita hoje, depois de a notícia ter circulado no jornal espanhol ABC. 

A  prisão do "etarra" foragido José Angel Vizán Gonzáles - também conhecido como Joseba Vizan González ou pelo apelido "Jon Gorri Gorri" -  atendeu a uma “ordem internacional de detenção” promulgada por um tribunal espanhol, o Juzgado Central de Instrucción número 5 de la Audiencia Nacional.  Ele seria procurado desde 1991.

González, como informa o jornal espanhol, nasceu em Basauri (Vizcaya), em 7 de maio  de 1959. O jornal diz ainda que ele é procurado acusado dos  crimes de atentado, assassinatos e colaboração com a banda armada, mas nunca foi condenado por conta das suas supostas relações ou atividades com o ETA.

A notícia vazou inicialmente na Espanha, através do jornal ABC, conforme informa o jornalista Mauro Santayana em seu blog. Citando fontes da Comisaría General de Información de la Policía Nacional , o diário espanhol ABC, em primeira mão identificou o preso e anunciou que a prisão havia ocorrido na véspera. A Polícia Federal do Rio só divulgou a prisão, sem identificar o preso, às 11h40H. Posteriormente o jornal modificou a reportagem admitindo que a prisão ocorreu na sexta-feira.

Segundo a notícia do site do jornal espanhol, “membros da polícia espanhola” teriam efetuado a prisão.  Certamente os policiais espanhóis, após identificarem o foragido, devem ter recorrido,pelos meios diplomáticos, ao Supremo Tribunal Federal solicitando a prisão do mesmo para fins de extradição. 

A partir de um mandado do STF é que a polícia federal brasileira agiu, provavelmente com a colaboração dos agentes espanhóis. Com ele preso, cabe à diplomacia espanhola impetrar no Supremo o pedido de extradição, que terá que ser decidida pelo plenário daquela corte depois de ouvida todas as partes.

O ETA é um grupo revolucionário, com ideologia marxista, separatista, que luta pela independência dos Países Bascos. O movimento é classificado como terroristas pelos governos da Espanha, França, Estados Unidos, e pela a União Européia.