Defesa Civil entrega materiais em locais atingidos pela chuva

A Defesa Civil do Rio de Janeiro faz a entrega de materiais na manhã deste domingo para os municípios afetados pela forte chuva que atingiu o Estado nesta semana. Os itens foram definidos de acordo com um levantamento feito em conjunto com as secretarias de Defesa Civil de cada localidade. 

A população de Belford Roxo, onde há 550 desalojados e oito desabrigados segundo balanço divulgado ontem, receberá 4 mil litros d'água. Em Mangaratiba e Angra dos Reis serão entregues, para cada município, 300 colchonetes, 300 kits cama e 200 cestas básicas. Petrópolis vai ganhar 100 cestas básicas. O distrito de Xerém, em Duque de Caxias, um dos locais mais atingidos, já havia recebido 1,1 mil colchonetes, além de kits de roupa de cama, 6 mil litros d'água e 600 cestas básicas. 

Ontem, foi encontrado o corpo do funcionário da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) que estava desaparecido em Xerém desde a última quinta-feira devido à chuva. Enéas Paes Leme trabalhava em uma das duas represas da empresa dentro da Reserva Biológica do Tinguá, na Baixada Fluminense. Com isso, subiu para três o número de mortes ocasionadas pelo temporal que afetou o Estado.

Na manhã de sexta-feira, um homem de 50 anos morreu atingido por uma árvore no Alto da Boa Vista, zona sul da capital fluminense. Segundo o Corpo de Bombeiros, Roberto de Souza trabalhava próximo a uma encosta quando houve um deslizamento de terra com queda de árvores. No momento do acidente, chovia intensamente no local. Na quinta, uma pessoa morreu em Xerém durante a inundação. De acordo com estimativa da Defesa Civil do RJ, cerca de 200 mil pessoas foram afetadas, de alguma forma, pela forte chuva que caiu durante a semana em algumas regiões do Estado. 

Histórico de deslizamentos

Em janeiro de 2011, a Baixada Fluminense enfrentou a maior tragédia climática da história do Brasil. Foram 918 mortos e mais de 215 desaparecidos após as fortes chuvas que atingiram sete municípios da região. As cidades mais atingidas foram Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis, Bom Jardim, Areal, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto.

No ano anterior, em 2010, uma série de deslizamento deixou 30 mortos em Angra dos Reis nas primeiras horas do dia 1º de janeiro. O deslizamento de uma encosta atingiu uma pousada e sete casas na Ilha Grande, matando pelo menos 19 pessoas. No continente, 11 pessoas morreram em outro desmoronamento.