Friburgo: famílias recebem auxílio, mas ficam em casas condenadas

Apesar de receberem o aluguel social de R$ 500 pago pela prefeitura, ainda há famílias vivendo em casas condenadas em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, dois anos depois da tragédia que deixou mais de 400 mortos. Moradora de um imóvel que fica à beira de um abismo em Conselheiro Paulino, um dos distritos mais atingidos em 2011, a costureira Vera Lúcia Miranda de Souza, 55 anos, não esconde o temor pela situação. "Eu tenho medo de morrer aqui. Sei que é área de risco, mas não tenho para onde ir", disse. As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo .

Vera Lúcia é beneficiária do aluguel social e contou que chegou a receber R$ 5 mil do governo estadual como indenização pela demolição de parte de seu imóvel. "Parei de pagar o IPTU no ano passado, por instrução da prefeitura, mas ninguém veio aqui avaliar o restante do meu imóvel até agora", lamentou. Segundo estimativa do prefeito Rogério Cabral (PSC), 40% das 2,7 mil famílias cadastradas para receber o aluguel social estariam se beneficiando ilegalmente, pois não eram donas dos imóveis condenados. Ontem, após sobrevoar a região de Xerém, distrito de Duque de Caxias, o governador Sérgio Cabral (PMDB) prometeu R$ 5 mil para 300 famílias que perderam móveis e utensílios na enxurrada desta semana.