Alexandre Padilha recebe título de cidadão honorário do Rio

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, chegou quase duas horas atrasado na solenidade de lançamento da parceria que irá permitir ao governo brasileiro produzir o medicamento contra Aids Sulfato de Atazanavir, mas por uma causa nobre: a partir desta sexta-feira o paulistano pode ser considerado também um cidadão do município do Rio de Janeiro.

>> Antirretroviral usado por 20% dos soropositivos terá fabricação nacional

O evento foi realizado pela manhã na Câmara Municipal carioca. Padilha, que recebeu junto com o diploma de cidadão honorário o conjunto de Medalhas de Mérito Pedro Ernesto, se disse muito feliz com o título. "Não é fácil virar carioca, acabei falando mais do que deveria", desculpou-se.

Um dos nomes preferidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para concorrer ao governo de São Paulo em 2014, Padilha, assim como a presidente Dilma Rousseff e o prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad, nunca concorreu a um cargo público. Ele está a frente do Ministério da Saúde desde janeiro de 2011 e antes foi Ministro da Secretaria de Relações Institucionais do País.

No começo da tarde, o ministro foi à favela da Rocinha, na zona sul da cidade, fazer um teste rápido para detecção de aids como parte das atividades do dia mundial de luta contra a doença, que acontece neste sábado. "Só esse mês já fiz uns três testes", disse ao comentar a importância do diagnóstico precoce. Desenvolvido no Brasil, o teste permite saber em 20 minutos, através de uma pequena amostra de sangue da ponta do indicador, se o paciente tem ou não o vírus.