Exercício simulado vai mobilizar 40 mil pessoas em 100 prédios do Centro

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros do Rio realizam pela primeira vez, nesta quinta-feira, o Dia Estadual para a Redução de Desastres. A iniciativa, que vai mobilizar todo o estado, busca conscientizar a população sobre a necessidade de criar uma cultura de prevenção a desastres. 

O projeto vai envolver 100 prédios do Centro do Rio, onde vai acontecer um exercício simulado de escape para casos de incêndios. A simulação vai mobilizar cerca de 40 mil pessoas. O treinamento começa às 11h com 56 prédios da região do Largo da Carioca, Uruguaiana e Cinelândia. Às 11h30 será feita em 18 prédios do 1º Distrito Naval, Candelária e Presidente Vargas; e ao meio-dia, em outros prédios da Cinelândia e Avenida Beira Mar. O treinamento deve durar cerca de 20 minutos em cada região.

Municípios da Região Serrana que contam com o sistema de alertas e sirenes da Defesa Civil também vão participar com um treinamento de desocupação em comunidades suscetíveis a riscos de desabamento. Além disso, um prédio em cada cidade onde o Corpo de Bombeiros conta com uma unidade vai ser mobilizado.

Na capital, cerca de 300 militares vão atuar na realização dos exercícios, checando junto ao público as escadas de emergência, os extintores, os mapas de fuga, a iluminação e a sinalização de emergência destas edificações.  

“Trata-se de um treinamento coletivo como uma forma de envolver a sociedade em uma ação de proteção civil. O grande objetivo é familiarizar as pessoas com perigos do cotidiano. Prédios elevados são locais de risco, e é importante que as pessoas participem e sejam esclarecidas”, define o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Sérgio Simões.

O Corpo de Bombeiros tem o papel de garantir e estimular que estes prédios estejam em conformidade com o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico.  A Defesa Civil, por sua vez, quer treinar os moradores destas áreas de riscos para saírem de suas casas com segurança em dias de chuvas fortes.  

“O Estado do Rio está cumprindo uma das metas da estratégia internacional de redução de desastres. Esse é o caminho para que a gente possa envolver as comunidades”, reforça.