Feira no Rio orienta interessados em ingressar no serviço público 

Rio de Janeiro - Durante três dias, os brasileiros interessados em ingressar no mercado de trabalho público terão a oportunidade de  receber orientação de especialistas e de debater temas relacionados aos concursos públicos  na  3ª Feira da Carreira Pública e Mercado de Trabalho, que ocorrerá no Rio de Janeiro, entre os dias 27 e 29 deste mês.

O coordenador do evento, Gilberto Silva, disse hoje (24) à Agência Brasil que  existe no país uma valorização das carreiras  públicas, devido à estabilidade de emprego que oferecem, bem como pelos desafios. “É um mercado que sempre vai ser forte. Não para de crescer”. Segundo ele, o interesse nos concursos públicos cresce na proporção em que cresce a população. “A gente vê isso pela quantidade de candidatos por vaga”.

Além da estabilidade, Silva destacou que a crescente projeção do Brasil no mercado econômico mundial  é outro elemento que contribui para o interesse da população nas carreiras públicas. “A evolução da economia brasileira acaba  dando mais espaço para a iniciativa privada, mas, também, para o crescimento da máquina do Estado. A tendência é que a gente tenha, pelo menos por enquanto, aumento das oportunidades nas carreiras públicas”. 

Gilberto Silva lembrou que, embora nos últimos anos tenha ocorrido  uma melhoria nos salários públicos, em alguns mercados eles ainda  não são competitivos em relação ao setor privado. “Em contrapartida, têm a estabilidade e, em algumas carreiras, o prestígio. Então, acaba compensando a diferença”.

Entre os mercados nos quais os salários ainda não são competitivos, citou o das engenharias. “Está havendo um boom das engenharias. A gente acaba vendo, na área das engenharias,  em todas as suas especializações, que ainda há uma defasagem grande porque existe escassez de profissionais”. O setor público não consegue segurar esses profissionais por limitação salarial.

Dentro do mercado das carreiras públicas, confirmou que a maior procura é pelas organizações  com   marcas fortes e expressividade econômica,  como Banco do Brasil, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Caixa Econômica Federal, Banco Central, Petrobras.

Nas duas edições anteriores juntas, a feira registrou um total de 70 mil visitantes. Para essa terceira edição, a expectativa é alcançar mais de 35 mil visitantes. Até a última sexta-feira (21), mais de 5 mil pessoas fizeram a pré-inscrição pela internet para participar do evento. “No ano passado, foi um quinto disso de pré-inscritos”, informou Gilberto Silva.

O evento tem o apoio da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), da Secretaria de  Planejamento e Gestão do Estado do Rio de Janeiro (Seplag) e da Fundação Getulio Vargas (FGV).