Cabral garante 'política inflexível' contra PMs criminosos 

Em entrevista ao Bom Dia Rio, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, criticou o envolvimento de policiais em atos criminosos e garantiu: "Nós temos tido uma política inflexível com esse tipo de ato".

O comando da PM afastou três sargentos suspeitos de terem levado uma mochila com dinheiro do assalto ao restaurante na Tijuca, zona norte da cidade, no dia 13 de agosto. Eles têm entre 12 e 20 anos de corporação, negam ter pego o dinheiro e respondem agora a um Inquérito Policial Militar (IPM).

"Evidente que nós estamos num Estado de direito democrático, mas num rito absolutamente sumário para que se afaste da organização esse PM. A organização é composta, em sua esmagadora maioria, por pessoas de bem, que têm trabalhado incessantemente para reduzir os índices criminais do Rio de Janeiro, junto com a Polícia Civil. E não pode ter, nem na Polícia Civil, nem na Polícia Militar, pessoas que manchem a honra de duas instituições que têm ganho cada vez mais credibilidade com a população", declarou Cabral. 

Os nomes dos policiais não foram divulgados. Imagens publicadas na internet mostram dois PMs agachados perto do corpo de um dos assaltantes do restaurante. Um deles pega a mochila e começa a caminhar. Um ônibus passa. Em seguida, um PM sai carregando a mochila e desaparece.