Comlurb realiza casamento coletivo de 144 pessoas no Rio

O amor não tem idade. Para garis que recebem em média R$ 1.030, oficializar este amor também custa caro demais. Eles pediram e a Comlurb, empresa de limpeza urbana da cidade do Rio de Janeiro, realizou na tarde deste sábado um casamento coletivo que juntou 72 casais no Clube do Servidor, no centro da cidade. Através de convênios, a empresa conseguiu fazer uma cerimônia livre de despesas e cheia de atividades para os noivos - eles puderam se maquiar com profissionais, almoçar, jantar e ainda estourar uma garrafa de champanhe.

"Era um desejo muito antigo que a gente tinha. Já estamos há 22 anos juntos e nunca havíamos tido a oportunidade de oficializar. Ela pôde também realizar um sonho", disse o motorista Carlos Augusto Souza, que enfim legalizou a união com a gari Elisabeth Josefa de Souza, ambos de 40 anos.

Os dois formaram um dos casais mais estilosos do casamento. Ele colocou um terno, com camisa xadrez e gravata e deu o toque pessoal no visual com um chapéu panamá. Ela não abriu mão de alugar um bonito vestido de noiva para sacramentar a data. "A gente queria fazer um visual bem tradicional, meio antigo, tipo os da novela 'Chocolate com Pimenta'", contou Elisabeth.

Adenir de Souza, 56 anos, e Ivani Gomes de Brito, 55, formavam um dos dois únicos casais de funcionários da Comlurb da cerimônia. Ele é gari e ela agente de preparo de alimentos (APA). "Formamos o casal garapa", brincou ela.

Os dois, que se conhecem há cinco anos, já têm até netos de outros casamentos - ela, cinco e ele, quatro. Mas não abriram mão de oficializar a união e, claro, se vestir a caráter, com vestido de noiva e tudo. "Tem que ter, né? Foi uma chance de unir o útil ao agradável", afirmou Adenir.

A presidente da Comlurb, Angela Fonti, explicou para os garis e seus parceiros a importância que a oficialização do casamento tem na vida deles - de posse do documento, por exemplo, eles podem incluir o cônjuge no plano de saúde da empresa. "A gente sabe que trabalha com gente jovem. E é sempre oneroso fazer uma cerimônia. O casamento acende aquela luz que eles agora têm um companheiro de verdade ao lado. A Comlurb é uma empresa com grande simpatia na cidade e eles merecem", disse ela.