Guia mostra amplo levantamento sobre a história natural no Rio de Janeiro 

Geologia, clima, flora, expansão urbana e oceanografia são abordados na publicação

"Fiz uma longa caminhada para observar a geologia de algumas montanhas que cercam a região.  Após passar algum tempo em veredas sombreadas por cercas vivas de mimosas, peguei um desvio por uma trilha rumo à floresta. Mesmo a uma pequena distância da cidade, a mata é muito quieta e erma como se o homem civilizado jamais tivesse entrado ali ”.

O relato foi escrito em 1832 pelo naturalista Charles Darwin (1809–1882), em sua visita ao Rio de Janeiro. Conheceu o Pão de Açúcar, o Corcovado, o Jardim Botânico, a Floresta da Tijuca e outros locais pitorescos da cidade e registrou suas observações no Diário do Beagle (HMS Beagle era o nome de sua embarcação). 

Quase dois séculos depois dessa ilustre visita, muita coisa mudou no Rio de Janeiro. A ocupação urbana, a distribuição ou extinção de determinadas espécies, a relação do homem com a natureza. Outras permaneceram, como as formações geológicas, por exemplo. O processo histórico, entretanto, continua a modelar a realidade e as experiências.

Com essa crença, o Instituto Cultural Cidade Viva, em parceria com o Governo do Estado e do Instituto Light, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, acaba de lançar o Guia de História Natural do Rio de Janeiro. Publicado pela editora Cidade Viva, o livro é dividido em quatro partes: Ambiente Físico, Ecossistemas, Biota e Conservação de ecossistemas.

O Parque Nacional da Tijuca, maior floresta urbana do mundo, também está lá. Claudio Belmonte Bohrer e Patrícia Moreira, dois dos mais de dez autores do Guia, falam da exuberância do Parna-Tijuca e sua importância ambiental. Com fotos de alguns dos mais conhecidos pontos da Unidade, como Pedra da Gávea, Cascatinha Taunay e Parque Lage, são mais referências sobre o Parque.

Geomorfologia, Geologia, Clima, Flora, Expansão Urbana e Oceanografia são alguns dos temas abordados pela publicação, que, em textos e fotos, apresenta um completo guia de história natural do Rio. Como sintetizam MV Serra e Maria Teresa Serra no texto de apresentação: “não há quem fique indiferente à natureza no Rio de Janeiro”.