Propagandas irregulares são retiradas de ruas e prédios da Tijuca

Homens fizeram rapel para remover o material

A Secretaria de Ordem Pública (Seop) retirou empenas cegas, placas publicitárias instalados nas laterais de prédios, e outdoors de ruas da Grande Tijuca (Zona Norte). O material ia de encontro a decreto municipal que criou a Zona de Preservação Paisagística e Ambiental 2 (ZPPA-2), responsável pela integração da região ao programa Rio Limpo. A medida busca valorizar e preservar o patrimônio paisagístico e ambiental da cidade. Em maio deste ano, bairros da Zona Sul e do Centro foram alvo do mesmo tipo de ação.

Na Rua Conde de Bonfim, principal via da Tijuca, escaladores da Defesa Civil auxiliaram na retirada de duas empenas cegas. Os condomínios onde estavam instaladas as peças foram multados pela Prefeitura. O de número 344 terá de pagar cerca de R$ 102 mil, e o 297 terá de desembolsar perto de R$ 55 mil. Caso o edifício não retire a estrutura metálica que suporta o material publicitário, será multado em R$ 570 por dia. Foram retirados ainda cinco outdoors irregulares nas ruas João Paulo I e Hadock Lobo, no mesmo bairro. Na Praça da Bandeira, outros 11 outdoors foram removidos pelas empresas responsáveis pela exibição das publicidades. 

Segundo o secretário de Ordem Pública, Alex Costa, toda a Grande Tijuca será valorizada com a ação.

“Centro e Zona Sul ficaram mais limpos, e o mesmo acontecerá por aqui”, disse. “Além de melhorar a gestão do espaço publicitário, as belezas arquitetônicas serão privilegiadas, e o patrimônio paisagístico, valorizado”.

A ZPPA-2 abrange os bairros das III, VIII, IX e XII regiões administrativas: Tijuca, Alto da Boa Vista, Praça da Bandeira, Maracanã, Vila Isabel, Andaraí, Grajaú, Estácio, Cidade Nova, Rio Comprido, Catumbi e Santa Teresa.

O decreto, desde sua publicação, proíbe anúncios que cubram fachadas, anúncios em outdoors, em letreiros, em cobertura de prédios, em empenas cegas, em tapumes e em redes de proteção de obras. Em todos os casos, os responsáveis têm 180 dias para se adaptar às novas regras. Para toldos ou letreiros em estabelecimentos comerciais, o prazo para cumprimento da nova regra é de 90 dias. Bares e restaurantes terão de usar um toldo ou uma placa na fachada, e não poderão fazer propaganda de nenhum produto.

“Os bares e restaurantes estavam padronizados. Ou tinham fachada azul, ou vermelha. As cervejarias bancavam as fachadas, que levavam suas marcas. Era a propaganda de emboscada, que vinha descaracterizando estes bairros”, definiu Alex Costa. “Agora só podem trazer o nome da casa”.

O decreto impede os shoppings e centro comerciais, por exemplo, de exibir em suas fachadas as marcas das lojas âncora, que têm poder de atração sobre os clientes.

Participaram da ação homens da Seop, guardas municipais, Fiscais de Atividades Econômicas, Defesa Civil, Rioluz, Comlurb e Seconserva.