Classe Hospitalar Fernandes Figueira comemora seu primeiro aniversário

A Classe Hospitalar do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) completa nesta quinta-feira um ano de existência. A iniciativa, que permite que crianças e adolescentes internados continuem sua formação escolar, chegou ao Instituto graças a uma parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro.

As aulas são individuais em função da necessidade de precaução do contato entre os pacientes e acontecem diariamente nos leitos das enfermarias de pediatria geral, DIPe (Doenças Infecciosas Pediátricas), Cirurgia Pediátrica, Unidade Intermediária (UI) e Unidade de Pacientes Graves (UPG). A professora municipal Karla Bastos lembra que o conteúdo programático ministrado é correspondente ao que está sendo ensinado na escola em que a criança está matriculada. “Os conteúdos também estão disponíveis no site da Secretaria Municipal de Educação”, ressalta. 

Para a professora, a continuidade do processo de aprendizagem dentro do hospital facilita um retorno sem prejuízos à escola e ainda minimiza o isolamento social. “A palavra que resume a classe hospitalar é encantamento. Em um ano no IFF já alfabetizei crianças internadas, crianças que não gostavam de ir à escola passaram a aceitar melhor o conteúdo das aulas, respondendo com bom desempenho às atividades propostas; e crianças que poderiam perder o ano escolar pelo longo período de internação, tiveram esse direito garantido. Todas essas situações são extremamente motivadoras e gratificantes. São encantadoras”, afirma ela.

A iniciativa tem dado tão certo que, neste ano, a Classe Hospitalar Fernandes Figueira se expandiu e ganhou mais uma professora, Giselle Gomes. No Instituto, a mediação é feita pelo Núcleo de Apoio a Projetos Educacionais e Culturais (NAPEC), que funciona como base para as professoras. O IFF está localizado na Avenida Rui Barbosa, 716, Flamengo.