Prejuízo da Petrobras derruba ações da empresa na Bovespa

As ações da Petrobras registraram queda de mais de 5% na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta segunda-feira, após o anúncio feito na última sexta-feira de um prejuízo líquido de R$ 1,346 bilhão no segundo trimestre. No entanto, as quedas desaceleraram para 2,46%.

O resultado da companhia é o pior desde o primeiro trimestre de 1999, quando a Petrobras registrou prejuízo de R$ 1,539 bilhão.

No semestre, a estatal teve lucro líquido de R$ 7,868 bilhões, queda de 64% em relação ao mesmo período do ano passado, de R$ 21,9 bilhões.

Em entrevista, na manhã desta segunda-feira, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, disse que a queda na produção foi gerenciada pela empresa. Ela destacou que é necessário recuperar a eficiência da Unidade Operacional da Bacia de Campos e planejar adequadamente as paradas operacionais em poços e plataformas para serviços de manutenção.

Maria das Graças anunciou que o aumento da produção de óleo e gás no país se dará no quarto trimestre, mas de forma sustentável. Ela ressaltou que estão mantidas para 2012 as metas de produção do plano de negócios 2012-2016, de 2,5 milhões barris por dia.

"Tenho extrema confiança e convicção de que alcançaremos resultados prósperos ao longo do próximo trimestre. Essa conjunção de fatores não deverá se repetir, todas em conjunto, e com a mesma magnitude em trimestres próximos. Estamos trabalhando dedicadamente para melhorar a rentabilidade da companhia", disse Foster.

Segundo a presidente, um dos fatores que levaram ao prejuízo foi a grande desvalorização do real frente ao dólar, já que parte dos custos da empresa é atrelada ao dólar. Houve também aumento da importação de gasolina e de gás natural liquefeito (GNL), para atender à demanda de usinas termelétricas.