Hospital e Secretaria de Saúde do Rio fazem campanha sobre a hepatite 

Rio de Janeiro – O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, realiza até a próxima sexta-feira (27) uma campanha para conscientização e detecção do vírus da hepatite C nos pacientes da unidade e seus acompanhantes. A expectativa é que sejam realizados mais de 3.500 exames durante a campanha.

O chefe substituto do Serviço de Hepatologia do Hospital do Fundão, Jorge Segadas, lembrou que hepatite C é uma doença silenciosa, que pode evoluir vagarosamente, entre dez a 30 anos, para uma fibrose ou mesmo uma cirrose hepática, acarretando risco de morte aos portadores.

Segundo Segadas, os fatores de risco para se contrair o vírus são: transfusões de sangue realizadas antes de 1992, porque depois dessa época o vírus já era conhecido e se passou a fazer um controle das doações de sangue; pessoas que fizeram tatuagem há algum tempo, já que os tatuadores não estavam treinados a certos cuidados com agulhas, tintas, etc; além das formas mais raras de transmissão, seja por meio de aplicação de piercing ou ao fazer as unhas na manicure.

O teste realizado, chamado de anti-HCV, mostra se os pacientes entraram ou não em contato com o vírus da doença. “É feito um teste simples e rápido. Se o resultado for positivo, é preciso confirmar por meio de um teste mais sofisticado, de biologia molecular. Fura-se a ponta do dedo, pega-se uma gota de sangue e, em dez minutos, sai o resultado. As pessoas estão recebendo um folheto explicativo contendo os fatores de risco, o modo de transmissão e as formas de tratamento”, explicou.

Já o laboratório Roche está realizando uma testagem na população em geral, na Estação Carioca do metrô, também até sexta-feira (27). Na próxima semana, a inicitiava estará na Estação da Pavuna.

A Secretaria Estadual de Saúde vai realizar, na Praça Tiradentes, no centro da capital fluminense, a campanha Fique Sabendo, na quinta (26) e sexta-feira (27) próximas. Os testes vão para detectar a presença dos vírus da hepatite B e C. A expectativa é que cerca de 400 exames de cada uma das hepatites sejam realizados durante os dois dias.

Segundo a coordenadora estadual de Hepatites Virais, a médica Clarice Gdalevici, existem atualmente quase 400 milhões de portadores de hepatite B no mundo e cerca de 180 milhões de pessoas têm o vírus da hepatite C. “É muito importante para a saúde pública oferecer a oportunidade de informação e prevenção à população, através da vacinação contra hepatite B e também de diagnóstico dessas hepatites. A campanha tem como objetivo aumentar o número de candidatos ao tratamento”, disse a coordenadora.

No próximo sábado (28), será celebrado o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Aqueles que não fizerem teste contra a doença durante a campanha poderão procurar o posto municipal de saúde mais próximo de sua residência e fazer os testes durante todo o ano.