MP-RJ denuncia grupo que invadiu delegacia para resgatar preso 

Os 15 homens acusados de invadir a 25ª Delegacia de Polícia para resgatar Diogo de Souza Feitoza, vulgo DG, foram denunciados quarta-feira pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ). Diogo foi preso no dia 3 de julho por posse ilegal de explosivo, receptação e participação em falsificação de documentos públicos. O resgate aconteceu no mesmo dia. O grupo foi denunciado por quadrilha e por promover fuga de preso a mão armada e mediante arrombamento do cadeado da cela. Também foi requerida a prisão preventiva dos denunciados.

De acordo com a denúncia, os criminosos chegaram em três carros e duas motocicletas e bloquearam o tráfego na Rua General Belford. Em seguida, dez homens invadiram a delegacia e, mediante ameaça de morte e usando armas de fogo, renderam os policiais civis e se dirigiram diretamente ao local onde DG estava preso. Com um alicate, romperam o cadeado da cela e o libertaram, entregando-lhe um fuzil antes de fugirem.

Segundo o texto da denúncia, alguns integrantes teriam permanecido do lado de fora da delegacia, e um deles ficou no atendimento, vigiando, enquanto um grupo armado entrou na unidade, se dirigindo à cela. Alguns dos que permaneceram na rua foram a um bar próximo à delegacia, portando fuzis e submetralhadoras. Dois policiais civis que estavam no bar perceberam a ação dos criminosos e reagiram. Houve troca de tiros, mas ninguém ficou ferido.

O resgate do preso teria sido possível principalmente porque os advogados Marcos Ferreira de Mello e Laerte Gomes de Carvalho, membros do grupo, já haviam ido à delegacia. Segundo a denúncia, eles entrevistaram o preso e colheram as informações sobre o local exato em que ele se encontrava, a quantidade de policiais que estavam na unidade e o armamento que portavam.