Adiado julgamento de PMs envolvidos no caso da morte de Rafael Mascarenhas

O julgamento dos policiais militares envolvidos no caso da morte do jovem Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, foi adiado nesta quinta-feira. Marcelo José Leal Martins e Marcelo de Souza Bigon são suspeitos de receber propina para liberar o carro que atropelou o músico no Rio de Janeiro, em julho de 2010. O músico foi morto quando andava de skate no Túnel Acústico, na Gávea, Zona Sul, na pista sentido Gávea. A audiência foi marcada para o dia 19.

A sessão foi adiada pelo juiz Marcius da Costa Ferreira devido o atraso de uma hora dos advogados dos suspeitos. Eles são acusados de corrupção passiva, na auditoria da Justiça Militar. Os policiais teriam cobrado R$ 10 mil para liberar o motorista Rafael Bussamra, acusado de ter atropelado Rafael. Os policiais negam a acusação.

Bussamra é acusado de homicídio doloso, corrupção ativa, fuga do local do acidente, participação de corrida automobilística não autorizada em via pública e fraude na pendência do procedimento policial.