Dom Orani: Dom Eugenio soube estar presente nos principais momentos do Brasil

O Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, destacou a vocação do cardeal Dom Eugenio Sales, que morreu no fim da noite de segunda-feira, no Rio, aos 91 anos.

"Soube estar presente nos principais momentos do Brasil, na questão dos refugiados, na defesa dos perseguidos", afirmou, destacando ainda que Dom Eugenio era um "homem de Igreja". "Seguiu Jesus Cristo e, por isso, trabalhou na evangelização, na preocupação com o próximo".

Dom Orani destacou também sua participação junto ao Vaticano. "Teve sua presença, fundou a campanha da fraternidade", destacou. Para o arcebispo, Dom Eugenio deixa marcada sua vida pela sua presença significativa na Igreja e no Brasil. "Lembramos de sua atuação na questão das favelas, ajudando os mais necessitados. Foi alguém que nunca deixou a fidelidade ao seu amor à Igreja e ao Santo Padre”.

Em nota, a Arquidiocese do Rio comunicou a morte de Dom Eugenio:

“É com pesar que a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro noticia o falecimento de seu arcebispo emérito cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, o mais antigo cardeal da igreja católica. Era cardeal presbítero da Santa Igreja Romana, do título de São Gregório VII. Seu lema, fundamentado na carta de São Paulo aos Coríntios, foi: “impendam et superimpendar” (2cor 12,15: “de muito boa vontade darei o que é meu, e me darei a mim mesmo pelas vossas almas, ainda que, amando-vos mais, seja menos amado por vós”).