Policiais militares de folga reforçam segurança em escolas estaduais

O governador Sérgio Cabral participou nesta quarta-feira (02), no Palácio Guanabara, da assinatura do Termo de Cooperação entre as secretarias de Segurança e Educação para a implantação do Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis) na rede estadual de ensino.

Inicialmente, 90 escolas estaduais terão a segurança reforçada com a presença de 427 policiais militares dentro e no entorno das unidades. Os profissionais vão trabalhar em suas horas de folga.

O governador ressaltou que o convênio é mais uma prova da integração dos setores da administração do Estado, adotada nos últimos anos como forma de acabar com a horizontalidade da gestão pública. Esta política, segundo ele, otimiza recursos e beneficia a população como, aposta, será a parceria da Segurança com a Educação na proteção às escolas.

- Essas 90 escolas que recebem o Proeis vão ganhar um outro nível de valor. Os pais desses meninos e meninas passam a ter outro nível de tranquilidade em relação a seus filhos e filhas. E os diretores e professores passam a ter outro nível de tranquilidade em relação ao ir e vir. É uma nova visão da polícia que é o que está acontecendo hoje em todo o Rio de Janeiro - afirmou Cabral.

Segundo o Coronel Odair de Almeida, coordenador do Proeis, o programa já está funcionando e será estendido ao Metrô (5 PMs), à Cedae (2 PMs), ao Inea (Instituto Estadual do Ambiente - 13 PMs) e ao município de Niterói (100 PMs). 

Até o fim do mês de maio, o convênio deve colocar policiais em São João da Barra, no Norte Fluminense, (100 PMs), na Ceasa (30 PMs), na Linha Amarela (3 PMs) e nas Barcas (3 PMs).

A Secretaria de Educação vai investir R$ 2 milhões por mês para dar proteção a alunos, professores, servidores administrativos e ao patrimônio dos estabelecimentos de ensino, em que há um histórico de delitos.

Segundo diretores, invasões para uso de quadras esportivas e piscinas e para consumo de drogas no pátio, brigas entre alunos, roubos e furtos.

Na primeira fase do convênio, serão beneficiados 115.490 alunos e 6.279 professores. Algumas escolas terão policiamento por até 24 horas. Os policiais cumprirão três turnos de oito horas cada. A primeira fase servirá de experiência para uma futura expansão a toda rede pública do estado.