Petrobras nega que vazamento em Roncador seja de petróleo 

A Petrobras negou nesta quarta-feira que haja petróleo vazando do solo marinho do campo de Roncador, na Bacia de Campos, no Norte do Rio de Janeiro. Segundo a estatal, amostras do óleo encontrado indicam que o material coletado tem características semelhantes a um tipo de fluido normalmente utilizado na perfuração de poços. A estatal, no entanto, garantiu que não há qualquer tipo de perfuração na região.

"As amostras confirmaram não se tratar de petróleo proveniente de qualquer reservatório produtor desse campo ou de qualquer reservatório produtor desse campo ou de qualquer outro petróleo produzido na Bacia de Campos", informou a empresa, por meio de nota.

A estatal garantiu que não há alteração na cimentação dos poços de Roncador próximos ao vazamento. "Existe integridade e isolamento efetivo entre os poços e as formações no seu entorno", acrescentou a Petrobras.

O vazamento no solo de Roncador foi constatado no último domingo. O campo é vizinho à área de Frade, operada pela americana Chevron, onde vaza óleo por fendas abertas no solo marinho desde novembro do ano passado. Foi um equipamento contratado pela Chevron para monitorar o óleo que contamina o mar que observou a alteração em Roncador.

O ponto onde o óleo foi identificado está a 500 metros da fronteira com Frade. Segundo a ANP, não há macha visível de óleo na superfície em função do óleo que está vazando. Não há definição ainda do total de óleo que sai do solo marinho de Roncador.