Unirio começa a ouvir estudantes suspeitos de fraude em matrícula 

Os estudantes envolvidos em denúncias de irregularidades em admissão na Escola de Medicina e Cirurgia (EMC), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), foram convocados para prestar depoimento nesta terça-feira, 10 de abril, a partir das 14h. Em nota publicada no site da instituição, a reitoria da universidade informa que foi aberto processo para apurar o uso indevido de números de matrículas canceladas por estudantes que não foram regularmente matriculados. Ontem, a Comissão ouviu dois servidores da EMC.

De acordo com a nota, um relatório de evasão gerado no dia 15 de março apontou as supostas irregularidades. A Direção da Escola verificou a inclusão de cinco nomes, de estudantes que não foram regularmente matriculados, no Sistema de Informações para o Ensino (SIE), com o uso de números de matrículas canceladas. Ao constatar a divergência, a Direção da EMC decidiu informar a Reitoria sobre as irregularidades.

A Reitoria da instituição consultou a Procuradoria-Geral junto à Universidade a respeito das providências cabíveis, e o órgão recomendou a abertura de uma sindicância. No dia 27 de março, foi instaurada a Comissão de Sindicância, composta por representantes de diferentes setores da Unirio. O prazo para realização dos trabalhos da Comissão é de 30 dias, prorrogáveis por mais trinta. Já foram ouvidas a diretora da EMC, Maria Lucia Pires, e a decana do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Lucia Marques Vianna.

Além disso, atendendo a orientação do Ministério da Educação, no dia 05 de abril foi encaminhado ofício ao Superintendente Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro, Valmir Lemos de Oliveira, comunicando sobre as possíveis irregularidades.