Polícia Civil do Rio estoura laboratório clandestino de medicamentos  

Policiais da 146ª DP (Guarus) estouraram, nesta quinta-feira (05), com base em uma denúncia anônima, um laboratório clandestino de produção de medicamentos, situado na Rua D, no bairro do Travessão de Campos, às margens da BR-101, sentido Campos-Vitória.

Comandados pela titular da unidade, delegada Carla Tavares, os agentes foram até o local onde encontraram os materiais utilizados na produção dos medicamentos, como rótulos, grande número de embalagens vazias, tampas, lacres, utensílios de cozinha usados para misturar os ingredientes, além de galões com ingredientes.

De acordo com informações de vizinhos, um homem, identificado como Fernando, seria o responsável pelo local.

Após a perícia criminal, a delegada determinou a interdição do local e a abertura de inquérito para apurar a prática do crime previsto no artigo 273 do Código Penal, adulterar, falsificar, corromper ou alterar produto destinado a fins medicinais, cuja pena prevista varia de 10 a 15 anos.

"É importante que a população denuncie, pois a fabricação e venda destes produtos é um enorme risco para as pessoas que, mal informadas, imaginam que estão comprando produtos "naturais" que curam doenças sem nenhum risco, o que é mentira. Qualquer medicamento tem que ser receitado por médico e produzido como manda a Lei. A verdade que a pena é alta justamente por considerar que esta fraude pode matar pessoas de boa fé", disse a delegada.