Prefeito inaugura duas unidades de ensino no Alemão e na Penha

Escola da Penha ganhou um Espaço de Desenvolvimento Infantil; a de Olaria foi reconstruída

Os Complexos do Alemão e da Penha receberam na manhã desta terça-feira, dia 3, mais um reforço na área da educação, com a inauguração de dois novos prédios de duas escolas municipais que funcionam nesta região pacificada do Rio. A primeira unidade escolar inaugurada foi a Escola Municipal São Vicente, na Penha, que também ganhou um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI). Em seguida, foi a vez da Escola Municipal Clóvis Beviláqua, em Olaria, abrir as portas com um novo visual. 

O prefeito Eduardo Paes, acompanhado da secretária municipal de Educação, Claudia Costin, entregou as novas unidades de ensino e falou sobre a importância dos serviços nas áreas pacificadas da cidade: 

- Essas obras são fruto de um trabalho que fizemos logo depois da pacificação. Nós estabelecemos duas prioridades: a atenção básica à saúde, que já tem 100% de cobertura nos dois complexos, e a educação, para que possamos ter um futuro melhor. Todo investimento em educação é uma aposta no futuro, pois a escola é fundamental para que todas as crianças possam ter oportunidades na vida. 

A unidade na Penha, que antes atendia 470 alunos da creche ao 5° Ano, teve sua capacidade ampliada em mais 50 vagas para creche e passará a receber 520 alunos. Sua estrutura conta com quatro salas de atividades dedicadas ao EDI, além da área utilizada pelo Ensino Fundamental, com seis salas, duas bibliotecas, sala de informática, sala de primeiros atendimentos, ginásio esportivo com vestiários, parquinho, acessibilidade, além de áreas administrativas. 

Em Olaria, a Clóvis Beviláqua conta com oito salas, quatro de Ensino Fundamental e quatro salas de Educação Infantil, biblioteca, sala de informática, auditório, sala de artes, sala de primeiros atendimentos, acessibilidade, além de áreas administrativas. A unidade continuará atendendo 425 alunos da Educação Infantil ao 5° Ano.

Claudia Costin falou sobre a importância das unidades de ensino nas áreas pacificadas.

- É uma região que sofreu muito até a pacificação. A escola São Vicente estava num modelo muito precário, que foi criado para ser provisório. Agora, virou uma escola grande, bonita, arejada e com um Espaço de Desenvolvimento Infantil junto. Estamos investindo muito na primeira infância. Uma criança que tem atenção desde os 6 meses tem muita chance de um desenvolvimento saudável e de um sucesso escolar depois. Educação não é prédio. O prédio facilita uma boa educação, mas quem educa são bons professores e bons agentes auxiliares.

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Educação, vem ampliando a oferta de vagas em creche na cidade, a partir da meta de criação de mais 30 mil novas vagas até o fim de 2012. Desde 2009, foram criadas, em toda a cidade, 18.501 novas vagas em creche, em 65 EDIs construídos e em 98 escolas que tiveram seus espaços adequados para este tipo de atendimento. No total, a prefeitura mantém 19 escolas, seis EDIS e duas creches no Complexo do Alemão, já no Complexo da Penha são sete escolas, sete creches e um EDI.