Hospitais estaduais têm atendimento normal, mesmo com greve de ônibus 

A greve dos rodoviários que atinge Niterói, São Gonçalo, Maricá, Itaboraí e Tanguá causou baixas nas equipes que trabalham nos hospitais e Unidades de Pronto-Atendimento da rede estadual de saúde na região, mas não provocou interrupção no atendimento da população.

No Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, em Niterói, houve falta de funcionários em decorrência da greve de ônibus, mas todos os setores estão funcionamento sem intercorrências. 

Também em Niterói, a coordenação da Unidade de Pronto Atendimento do Fonseca informa que a equipe de plantão está incompleta em virtude da greve de ônibus, e que será dada prioridade de atendimento aos casos mais graves. No entanto, a unidade está de portas abertas para atendimento de toda a população.

No Hospital Estadual Alberto Torres, no Columbandê, em São Gonçalo, a falta de alguns profissionais não compromete o atendimento à população e todos os setores estão em funcionamento.