Testemunha: vítima atropelada e morta por filho de Eike estava no acostamento

Um vizinho de Wanderson Pereira dos Santos, 30 anos, morto ao ser atropelado na noite de sábado pelo filho do empresário Eike Batista com a ex-modelo Luma de Oliveira, afirmou neste domingo que Thor Batista, 20 anos, acertou seu amigo no acostamento da rodovia Washington Luís, na região de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

"Quando corri para ver, já tinha acontecido. Ele (Wanderson) estava fora da estrada, foi atingido no acostamento da esquerda", disse o montador José da Silva, segundo o qual Thor entrou com seu Mercedes SLR McLaren no acostamento para desviar de um ônibus.

O montador foi uma das cerca de 100 pessoas que acompanharam o enterro de Wanderson no cemitério de Xerém. O vizinho disse que a colisão foi muito forte, sendo que o rosto da vítima ficou desfigurado, e parte de seu corpo permaneceu presa à bicicleta.

O caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há a intenção de matar. A Mercedes SLR McLaren acelera de 0 a 100 km/h em 3,8 segundos e tem velocidade máxima de 334 km/h, conforme o fabricante. De acordo com o inspetor do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, da Polícia Civil, o filho de Eike chegou a deixar o local, mas acabou retornando. Depois de ver o corpo do auxiliar atropelado, Thor passou mal. De acordo com policiais da 61ª DP de Xerém, que registraram o caso, Thor fez o teste do bafômetro, que comprovou que ele não havia ingerido álcool.

Segundo o inspetor Eraldo, Thor Batista foi intimado e deverá prestar depoimento na próxima quinta-feira. O Grupo EBX, de Eike Batista, divulgou nota em que lamenta o acidente e afirma que o filho de Eike, além de ter prestado auxílio à vítima, não trafegava acima da velocidade estabelecida. Segundo a nota, Wanderson "atravessava, inadvertidamente", a estrada onde ocorreu o incidente.