Cedae quer arrecadar R$ 3 bilhões com venda de 30% das ações

Procurado pelo JB, o governo do estado do Rio de Janeiro não se pronunciou a respeito da venda de 30% das ações da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) em uma oferta pública prevista para acontecer em agosto. A estatal atua em 65 dos 92 municípios fluminenses e abastece uma população de mais de 9 milhões de pessoas, além de efetuar o esgotamento sanitário para mais de 5 milhões. O objetivo da operação, que será coordenada pelo Banco do Brasil, Credit Suisse e BTG Pactual, é arrecadar cerca de R$ 3 bilhões. O valor arrecadado com a transação irá para o Tesouro Estadual.

Segundo dados do governo do estado, a Cedae chegou a amargar prejuízos mensais de R$ 30 milhões. Em 2007, quando tomou posse a atual administração, a empresa iniciou um processo de reestruturação e, desde então, vem apresentando resultados positivos. De acordo com o último balanço patrimonial, referente ao ano de 2010, a arrecadação bruta da empresa chegou a R$ 2, 73 bilhões, valor recorde, e o lucro líquido a R$ 90,46 milhões.  A receita operacional bruta obteve um crescimento de atingiu R$  3,44 bilhões.

Para tanto, entre outras ações, a estatal captou R$ 1,14 bilhão em 2011 com a oferta de cotas do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), suficiente para - junto a recursos da própria empresa - pagar a dívida de pouco mais de R$ 2 milhões que a empresa mantinha com o Tesouro Nacional. Isto permitirá o acesso a linhas de financiamento para a melhoria nas áreas de tratamento e distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto. 

A CEDAE também instituiu um novo plano de benefícios para estimular os participantes da Prece, fundo de pensão dos funcionários da companhia, a migrarem para um novo plano de benefícios. Até maio de 2011, ainda segundo o último balanço patrimonial, 64% já havia optado pela troca, o que custará R$ 450 milhões à empresa. O incentivo total, caso todos decidam pela nova modalidade, chegará a R$ 700 milhões. 

A dívida com a Receita Federal foi refinanciada através do Programa de Recuperação Fiscal (Refis). O documento aponta que o ganho total a ser reconhecido pela Companhia em suas demonstrações financeiras decorrente desse processo é de R$ 325.577, sendo R$ 201.928 decorrentes de aproveitamento de prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social e R$ 123.649 relativos a redução de multa e juros.