MP denuncia agressores de jovem espancado ao defender mendigo

O Ministério Público doRio de Janeiro denunciou à Justiça os cinco jovens acusados de espancar o universitário Vitor Suarez Cunha, na Praia da Bica, Ilha do Governador, por tentativa de homicídio. O crime ocorreu na madrugada do dia 2 de fevereiro depois que Vitor pediu aos denunciados que parassem de agredir um mendigo. O MP também requisitou à Justiça a conversão da prisão temporária dos acusados em prisão preventiva.    

De acordo com a denúncia, subscrita pelas Promotoras de Justiça Christiane Barbosa Monnerat e Andrea Rodrigues Amin, os denunciados Tadeu Assad Farelli Ferreira, William Bonfim Nobre Freitas (vulgo “Capi”), Fellipe de Melo Santos (vulgo “Geminha”) e Edson Luis dos Santos Junior (vulgo “Flim”) desferiram socos e chutes no corpo e na cabeça da vítima, de forma cruel e em superioridade numérica, com o objetivo de matá-lo. 

O quinto denunciado, Rafael Zanini Maiolino, participou da tentativa de homicídio ao impedir que um amigo da vítima interferisse, contribuindo para que o grupo continuasse as agressões, mesmo com a vítima já desacordada e indefesa, caída no chão. 

As agressões deixaram sequelas na vítima, entre elas, fraturas no rosto. Os acusados vão responder por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe, tortura ou meio insidioso ou cruel e, também, por utilizarem recurso que impossibilitou a defesa da vítima. A pena para homicídio qualificado varia de 12 a 30 anos de prisão, mas em razão da tentativa pode ser diminuída de um a dois terços.