Justiça concede prisão preventiva contra homem que matou e esquartejou mulher

A denúncia do Ministério Público do Rio foi aceita nesta segunda-feira (27) pela 1ª Vara Criminal da Capital, onde foi decretada a prisão preventiva de Mauro de Carvalho de Jesus, acusado de ter matado a golpes de machado sua esposa, esquartejado o cadáver e ocultado os despojos, dentro de sacos de lixo e abandonados em um matagal em Campo Grande, na Zona oeste do Rio de Janeiro. 

Segunda a denúncia subscrita pelo titular da 20ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal, Marcus Vinícius da Costa Moraes Leite, o crime ocorreu por volta da meia-noite do dia 6 de janeiro deste ano, na residência do casal, no bairro de Paciência, também na zona Oeste carioca. Maria Cristiane Baia Mota foi morta enquanto dormia.

Para o MP, o crime foi cometido por motivo fútil, pois a vítima manifestava a intenção de por fim ao relacionamento com o criminoso; e, ainda, mediante recurso que impossibilitou sua defesa; e por ter o criminoso se prevalecido de relações de coabitação e com violência contra a mulher, de acordo com a Lei nº 11.340/06 (Lei Maria da Penha).

Ao receber a denúncia e decretar a prisão preventiva, a Justiça reconheceu que a cena descrita na acusação do MP é “daquelas causadoras de gravíssima comoção social, com ataque direto a familiares e testemunhas”.