De olho na Prefeitura do Rio, Garotinho e Cesar Maia oficializam aliança

Desafetos políticos durante anos, o deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ) e o ex-prefeito do Rio Cesar Maia oficializaram nesta segunda-feira (27) aliança para as eleições municipais marcadas para outubro. Em reunião partidária conjunta, PR e DEM, liderados no Estado pelos caciques políticos, definiram que vão ser aliados nas disputas por prefeituras das 92 cidades do Rio de Janeiro.

Ofuscados nos últimos anos pelo poder político do governador Sérgio Cabral (PMDB), Garotinho e Maia tentam, juntos, neutralizar o domínio do peemedebista, que tem apoio de quase todos os prefeitos. Juntos, PR e DEM têm atualmente apenas a prefeitura de Campos, comandada pela mulher de Garotinho, Rosinha, que foi a antecessora de Cabral no Palácio Guanabara. O objetivo da aliança é conquistar um terço das prefeituras do Rio.

Em seu discurso, o ex-prefeito Cesar Maia reconheceu as diferenças ideológicas entre os grupos políticos, mas ressaltou que existe uma unidade que sobressai pela mesma visão crítica da gestão do PMDB no Estado. Maia acusou os governos Eduardo Paes (PMDB) e Cabral de terem implementado um "processo de intimidação dos mais pobres".

"Repressão como publicidade é intimidação de triste memória da Alemanha dos anos 30. Intimidação leva sempre à extorsão", declarou, alertando que a população de rua cresceu 90% e os assaltos seguem no mesmo patamar.

Cesar Maia será candidato a vereador para ser o grande puxador de votos da aliança e alavancar o número de eleitos para a Câmara Municipal. Para a prefeitura, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), filho de Cesar, será o candidato da aliança, e deverá ter como companheira de chapa a deputada estadual Clarissa Garotinho (PR-RJ), filha de Garotinho. Ela ainda reluta em confirmar oficialmente sua candidatura à vice-prefeitura do Rio.

"Nesses últimos três meses temos nos reunido, estamos participando de atos públicos. O que posso dizer é que o Rodrigo tem me surpreendido a cada dia, e ele tem uma qualidade importante, que é saber ouvir, e considerar a palavra de um grupo divergente. As coisas estão caminhando bem, mas quero pensar mais", observou.

Clarissa fez elogios às administrações de Cesar Maia no Rio, e pontuou que ele e Garotinho sempre tiveram preocupação com a justiça social. Esse tópico, segundo ela, foi completamente esquecido pelo projeto do PMDB no Rio. Ela ressaltou ainda que Cesar Maia e Garotinho tiveram seus governos marcados por muitas obras, e que Paes é "o prefeito das obras inacabadas".

"Existem semelhanças do ponto de vista administrativo (entre Cesar e Garotinho). Quando brigavam, todos reclamavam. Agora, temos que ficar felizes pela aliança do prefeito que mais fez pelo Rio, e do governador que mais fez pelo Estado", afirmou.

Questionada se realmente considerava que Cesar Maia foi o prefeito que mais fez pelo Rio, ela buscou nos resultados eleitorais dos últimos anos sua resposta. "Ninguém fica 16 anos no poder, na mesma cidade, se não for aprovado pela população. Assim como Garotinho, que saiu com 80% de aprovação popular. Nosso projeto, inclusive, ajudou a eleger o governador Cabral", completou.